Myllena, 16 anos, taurina. Não sou perfeita , tenho medos , segredos, não sou toda certinha ,tenho vontade de muitas coisas , sonho com coisas impossíveis , planejo meu futuro. gosto e desgosto das pessoas . As vezes no mesmo tempo que estou sorrindo , eu estou chorando por dentro , me contento com pouca coisas . Tenho um sorriso confiante, nem tudo o que eu falo da boca pra fora é verdade,gosto de cumprir as coisas que eu falo , as vezes prefiro sofrer do que ver pessoas que eu amo sofrer , não gosto que duvide de mim . prefiro ter palavras proprias, me importo com as opnioes dos outros , busco felicidades em tudo que vejo , sinto falta daquilo que nunca tive,levo a vida do jeito mais simples , tento fazer o melhor , mais sempre sempre eu faço ▪▫

Início About Ask-me Créditos Archive Extras


O amor nunca morre de morte natural. Añais Nin estava certa.

Morre porque o matamos ou o deixamos morrer.

Morre envenenado pela angústia. Morre enforcado pelo abraço. Morre esfaqueado pelas costas. Morre eletrocutado pela sinceridade. Morre atropelado pela grosseria. Morre sufocado pela desavença.

Mortes patéticas, cruéis, sem obituário e missa de sétimo dia.

Mortes sem sangramento. Lavadas. Com os ossos e as lembranças deslocados.

O amor não morre de velhice, em paz com a cama e com a fortuna dos dedos.

Morre com um beijo dado sem ênfase. Um dia morno. Uma indiferença. Uma conversa surda. Morre porque queremos que morra. Decidimos que ele está morto. Facilitamos seu estremecimento.

O amor não poderia morrer, ele não tem fim. Nós que criamos a despedida por não suportar sua longevidade. Por invejar que ele seja maior do que a nossa vida.

O fim do amor não será suicídio. O amor é sempre homicídio. A boca estará estranhamente carregada.

Repassei os olhos pelos meus namoros e casamentos. Permiti que o amor morresse. Eu o vi indo para o mar de noite e não socorri. Eu vi que ele poderia escorregar dos andares da memória e não apressei o corrimão. Não avisei o amor no primeiro sinal de fraqueza. No primeiro acidente. Aceitei que desmoronasse, não levantei as ruínas sobre o passado. Fui orgulhoso e não me arrependi. Meu orgulho não salvou ninguém. O orgulho não salva, o orgulho coleciona mortos.

No mínimo, merecia ser incriminado por omissão.

Mas talvez eu tenha matado meus amores. Seja um serial killer. Perigoso, silencioso, como todos os amantes, com aparência inofensiva de balconista. Fiz da dor uma alegria quando não restava alegria.

Mato não confesso e repito os rituais. Escondo o corpo dela em meu próprio corpo. Durmo suando frio e disfarço que foi um pesadelo. Desfaço as pistas e suspeitas assim que termino o relacionamento. Queimo o que fui. E recomeço, com a certeza de que não houve testemunhas.

Mato porque não tolero o contraponto. A divergência. Mato porque ela conheceu meu lado escuro e estou envergonhado. Mato e mudo de personalidade, ao invés de conviver com minhas personalidades inacabadas e falhas.

Mato porque aguardava o elogio e recebia de volta a verdade.

O amor é perigoso para quem não resolveu seus problemas. O amor delata, o amor incomoda, o amor ofende, fala as coisas mais extraordinárias sem recuar. O amor é a boca suja. O amor repetirá na cozinha o que foi contado em segredo no quarto. O amor vai abrir o assoalho, o porão proibido, fazer faxina em sua casa. Colocar fora o que precisava, reintegrar ao armário o que temia rever.

O amor é sempre assassinado. Para confiarmos a nossa vida para outra pessoa, devemos saber o que fizemos antes com ela.

Morbidavel usurpou as palavras de Fabricio Carpinejar. (via le-t-it-b-e)

(Source: morbidavel)


Postado em: 9|08|2014 às 2:26 PM 777 notes Permalink

Eu sei que sou exatamente o que 99% dos homens não gostam ou não sabem gostar. Eu falo o que penso, abro as portas da minha casa, da minha vida, da minha alma. Basta eu ver o sinal de luz recíproca no final do túnel que eu mando minhas zilhões de luzes e cego todo mundo. Sou demais, tanto que ninguém aguenta. Ninguém entende nada. E eles adoram uma sonsa. Adoram. Mas dane-se. Um dia, um louco, direto do planeta dos 1% de homens, aparece. Tati Bernardi.  (via criticou)

(Source: l-u-a-r-e-s)


Postado em: 19|06|2014 às 9:51 PM 20,175 notes Permalink
Eu vejo minhas amigas de infância ficando tudo gostosona e eu aqui, parecendo um jegue de muleta

(Source: alinhou)



Postado em: 13|06|2014 às 1:08 AM 12,768 notes Permalink


Postado em: 4|06|2014 às 4:45 PM 334,500 notes Permalink

jackielovesharry:

Basically.


Postado em: 6|03|2014 às 11:08 PM 2,322 notes Permalink


Postado em: 22|11|2013 às 10:33 PM 2,392 notes Permalink


Postado em: 14|06|2013 às 10:37 PM 6,290 notes Permalink

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151457380881709&set=a.426330391708.206175.669626708&type=1&ref=nf


Postado em: 14|06|2013 às 10:34 PM

Algumas pessoas acham que podem entrar e sair de nossas vidas quando bem entendem. Um dia elas se surpreenderão ao encontrar a porta fechada. Daniel Radcliffe   (via criticou)

(Source: pai-sou-lesbica)


Postado em: 22|05|2013 às 12:08 PM 235 notes Permalink

(Source: worshipgifs)


Postado em: 22|05|2013 às 11:04 AM 305,511 notes Permalink

Página 1 de 236 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 »


Theme by Bruna Alves (Privatethought) | Proibida a cópia!